Copersucar passa por transição e prepara novo ciclo de rentabilidade

23/06/2015

Constituição da Alvean e conclusão de obras em terminais marcam a Safra 2014-2015

A Copersucar S.A., maior comercializadora global de açúcar e etanol, registrou um lucro líquido ajustado de R$ 60 milhões ao término da safra 2014/2015, ante um resultado ajustado de R$ 208 milhões no exercício anterior. O lucro ajustado considera o prêmio de 2% pago à Cooperativa na compra dos produtos, no valor de R$ 68 milhões (R$ 129 milhões na safra 2013/2014). Sem o ajuste, o resultado atribuído aos controladores passa a ser um prejuízo de R$ 8,4 milhões, ante um lucro de R$ 78,6 milhões no período anterior.

“O resultado reflete as dificuldades conjunturais do mercado e da economia brasileira, e ainda representa uma rentabilidade abaixo do potencial da Companhia”, afirma o presidente do Conselho de Administração, Luís Roberto Pogetti. “Entendemos que a safra 2014/2015 foi um ano de transição, que consolidou fundamentos importantes na nossa estratégia de crescimento. A consolidação do nosso modelo de negócio já configura novas alavancas de rentabilidade”, acrescenta.

No período, a constituição da Alvean Sugar SL – joint venture com a Cargill –, foi a iniciativa de maior impacto. A sociedade, formada por partes iguais das duas controladoras, começou a operar como trading global de açúcar em outubro de 2014, exatamente no início do segundo semestre do exercício. Em consequência, os processos de negócio da Copersucar passaram por substanciais transformações, já que a originação de açúcar e o atendimento aos clientes no mercado internacional passaram a ser desempenhados pela Alvean, apoiada em uma nova estrutura global, composta por bases operacionais em dez países, entre eles o Brasil.

O balanço da Copersucar, portanto, retrata duas realidades distintas em sua estrutura societária e na configuração de seus mercados: o primeiro semestre, semelhante às condições dos anos anteriores, e o segundo semestre, com o início das operações da Alvean como o novo e mais importante player global na integração da oferta e da demanda mundial de açúcar. “Esta transição estará completa no exercício 2015-2016, e se refletirá integralmente nas futuras demonstrações de resultados”, afirma o diretor presidente da Copersucar, Paulo Roberto de Souza.

As receitas líquidas da empresa foram de R$ 21 bilhões, ante R$ 23,1 bilhões no ano anterior, redução que é explicada pela transferência das operações de originação para a coligada Alvean. Do total, a comercialização de açúcar pela Copersucar respondeu por 27% das receitas, enquanto a de etanol representou 26%. A controlada Eco-Energy Biofuels, comercializadora e operadora logística de etanol nos Estados Unidos, contribuiu com os 47% restantes.

Estrutura logística

Além da entrada em operação da Alvean, outros fatos foram destacados como relevantes pela Companhia. A retomada das operações do Terminal Açucareiro Copersucar (TAC), no Porto de Santos, é um deles. As obras de reconstrução foram concluídas em março deste ano, e o TAC iniciou a atual safra com sua capacidade plena de movimentação.

Outra iniciativa na estrutura logística da Companhia foi o início das operações do Terminal Copersucar de Etanol (TCE), construído em Paulínia (SP), com capacidade de tancagem de 180 milhões de litros de etanol. A controlada Eco-Energy Global Biofuels expandiu sua capacidade logística nos Estados Unidos, com a entrada em operação de dois novos terminais multimodais, destinados a grandes composições ferroviárias para o transporte de etanol, que se somam aos dois já existentes. Ao todo, a empresa conta com 32 bases logísticas na América do Norte.

A Eco-Energy registrou avanços tanto em volumes de etanol comercializados (7,8 bilhões de litros, com crescimento de 14,7%) quanto nas receitas obtidas (R$ 9,9 bilhões, alta de 4,2%). Somadas à comercialização de etanol diretamente pela Copersucar, as operações conjuntas representam uma participação de 11% no mercado global do biocombustível.

Na Safra 2014/2015, a Copersucar comercializou 4,3 bilhões de litros de etanol, sendo que 3,8 bilhões de litros foram vendidos no mercado doméstico. A comercialização de açúcar no período somou 7,2 milhões de toneladas, sendo que, deste total, 5,5 milhões de toneladas foram destinadas à exportação, e 1,7 milhão foram comercializadas no mercado interno.

No período, as Usinas Sócias da Copersucar responderam pelo fornecimento de açúcar e etanol equivalentes a 95 milhões de toneladas de cana.

No Ano Safra 2014/2015 a Copersucar intensificou o ritmo dos investimentos, totalizando R$ 713,5 milhões, mais que o triplo do montante investido na safra anterior, de R$ 237,3 milhões. Estes recursos foram destinados à constituição da Alvean, à expansão da base logística da Eco-Energy, e aos ativos logísticos destinados aos mercados de açúcar e de etanol localizados no Brasil.

“É por esses motivos que mantemos também nosso otimismo como fornecedores em larga escala de energia limpa e alimento para o planeta, produtos indispensáveis à vida e à sustentabilidade ambiental”, diz Paulo Roberto de Souza, diretor-presidente da Copersucar.

Sobre a Copersucar

A Copersucar é líder global na comercialização de açúcar e etanol. Seu modelo de negócio, considerado único, combina a oferta em larga escala de produtos de alta qualidade com um sistema integrado de logística, transporte, armazenamento e comercialização, no Brasil e no mercado internacional. Leia mais sobre as iniciativas sustentáveis da companhia: http://www.copersucar.com.br/relatorio2014/

Informações para a Imprensa:
COMUNICAÇÃO MAIS
Milton Pazzi Jr.
(11) 3874-2028
milton.pazzi@comunicacaomais.com.br

Maria Fernanda Ribeiro
(11) 3874-2040
maria.fernanda@comunicacaomais.com.br