Categorias

Publicada por Assessoria de Imprensa 07/03/2018

Combustíveis renováveis têm novo impulso com o RenovaBio

O RenovaBio foi sancionado e está em fase de regulação

O RenovaBio foi sancionado e vai incentivar a produção nacional de biocombustíveis

O RenovaBio é a nova política de Estado que o Brasil oficializou, em dezembro do ano passado, para cumprir as metas de descarbonização do Acordo de Paris, e incentivar a produção nacional de biocombustíveis, o que dará previsibilidade ao mercado sucroenergético. Em fase de regulamentação pelo Governo Federal, a lei n.º 13.576/2017, publicada no Diário Oficial de 27 de dezembro do ano passado, vai promover ganhos de eficiência energética.

Para a Copersucar, a sanção presidencial do projeto do RenovaBio foi um novo passo. “Os benefícios deste novo marco regulatório serão percebidos por toda a sociedade. Somos defensores do RenovaBio e estamos engajados desde o início do projeto, pois as questões ambiental e de abastecimento pedem decisões políticas consistentes e de longo prazo”, diz Luís Roberto Pogetti, presidente do Conselho de Administração da Copersucar.

Como funciona o RenovaBio?

Para atingir a meta do Acordo de Paris, o Governo Brasileiro está criando um certificado individual para o produtor, o CBIO (Crédito de Descarbonização). O objetivo desse documento é comprovar o quanto cada produtor de biocombustível contribui para a redução na emissão de gases de efeito estufa (GEE). O produtor o emite, tratando-se de um ativo financeiro negociado em Bolsa e gerado no ato de comercialização do biocombustível.

Em paralelo, as distribuidoras de combustíveis terão metas individuais de descarbonização, conforme sua participação no mercado de combustíveis fósseis, e que devem ser cumpridas anualmente por meio de iniciativas que evitem a emissão dos GEE ou por meio da compra do CBIO.

A contribuição para o Acordo de Paris

No Acordo de Paris, o compromisso do Brasil é reduzir as emissões de gases de efeito estufa (com base em dados de 2005) em 37% até 2025, e chegar a 43% até 2030. O compromisso até lá inclui ainda aumentar a participação da bioenergia sustentável na matriz em 18%, restaurar 12 milhões de hectares de florestas e alcançar uma participação estimada de 45% de energias renováveis na matriz energética.

Estima-se que a redução de 847 milhões de toneladas de CO2 com o etanol e o biodiesel é equivalente a 6 bilhões de árvores plantadas. O benefício da previsibilidade, que chega com o Programa, vai permitir o planejamento de adequação e de investimentos para todas as usinas. Já é lei, e está em fase de regulamentação, com prazo de seis meses. O Governo Federal pretende anunciar detalhes ainda neste primeiro semestre e trabalha para que a implantação, prevista para 2020, seja antecipada.

Mais sobre o RenovaBio pode ser encontrado no site da UNICA: http://www.unica.com.br/renovabio

Últimas notícias

31/03/2020
Usina Caçu: primeira flex certificada no RenovaBio
A versatilidade é uma característica que aparece em vários setores do mercado brasileiro. A Usina Caçu, em Vicentinópolis (GO), é um exemplo. No dia 13... ver mais
26/03/2020
Copersucar e usinas associadas doam álcool 70% para combate ao coronavírus
Como forma de apoiar o combate ao novo coronavírus (COVID -19), a Copersucar e suas usinas sócias dedicaram parte da sua estrutura para a produção... ver mais
12/03/2020
Copersucar quer escriturar seus CBios
Um passo importante para o avanço da Copersucar no Programa RenovaBio foi dado nesta quarta-feira (11), com a assinatura de um contrato simbólico com o... ver mais
03/03/2020
Etanol: a logística de distribuição do biocombustível de cana-de-açúcar
Na reportagem anterior, mostramos o processo de produção do etanol; agora, iremos apresentar a sofisticada logística de distribuição do biocombustível de cana-de-açúcar para abastecer os... ver mais
13/02/2020
Etanol: a transformação da cana-de-açúcar em combustível
Nesta reportagem, você irá conhecer o processo de produção do etanol, desde a lavoura até a transformação da cana-de-açúcar no biocombustível, que, hoje, faz do... ver mais
31/01/2020
A história do Porto de Santos começa com o açúcar
O Porto de Santos, até hoje o maior polo marítimo exportador de açúcar do país, foi criado para escoar a produção de açúcar, no início... ver mais
23/01/2020
Engenho dos Erasmos: marco histórico aberto a visitas guiadas
Na quarta reportagem da série sobre a história do açúcar no Brasil, você irá conhecer um pouco mais sobre a importância do Engenho dos Erasmos... ver mais
09/01/2020
A civilização do açúcar: características singulares estruturam as políticas no Brasil
Aqui continuamos a série sobre a história do açúcar no Brasil (leia as reportagens anteriores acessando os links no fim do texto). No Nordeste, a... ver mais