Categorias

Publicada por Copersucar 04/09/2019

Energia de valor: vida longa ao etanol!

“Hoje, o etanol tem seu valor reconhecido e deve permanecer em nossa matriz energética por um bom tempo, já que é uma energia absolutamente limpa em termos de ciclo de carbono.”

É dessa forma que o diretor técnico da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea), Henry Joseph, classifica o biocombustível. Para ele, não há dúvida de que o etanol terá uma vida consideravelmente longa, ainda mais com a implantação do RenovaBio, que é uma iniciativa do Governo Federal para estimular a produção de biocombustíveis no país e deve entrar em vigor em 2020.

No ano que marca quatro décadas de lançamento do primeiro veículo brasileiro a álcool (saiba um pouco mais da história do etanol no infográfico abaixo), Joseph, que começou a trabalhar na indústria automobilística nessa época e acompanhou a evolução dessa tecnologia desde o início, acredita que a eletrificação veio para ficar, mas até que os veículos sejam totalmente movidos a eletricidade, o caminho é longo.

“O problema do motor elétrico é como levar junto a eletricidade. Sempre precisará de bateria ou  de gerar energia dentro do carro para fazê-lo se movimentar. Quando falo de bateria, estou falando de durabilidade, de autonomia, da necessidade de ter pontos de abastecimento que permitam recarregar o veículo. Os custos, a capacidade das baterias, a questão da reciclagem das baterias, a disponibilidade da matéria-prima, enfim, ainda há  questões sérias  a resolver”, explica.

Possibilidades do etanol

Segundo o diretor técnico da Anfavea, o etanol é uma tecnologia que está bem implementada e começa a ser utilizada em combinação com a eletrificação. “Há a possibilidade de usar o etanol no veículo híbrido junto com motor flex e já se visualiza a opção de utilizar o hidrogênio presente no biocombustível como gerador da eletricidade necessária para colocar o motor elétrico em funcionamento”, explica.

O Brasil e outros vizinhos da América Latina que usam o etanol de cana-de-açúcar, como Argentina e Paraguai, e até mesmo os Estados Unidos, que faz uso do biocombustível de milho, levam vantagem sobre países que não dispõem dessa tecnologia e dependem somente da eletrificação para atender aos compromissos ambientais de reduzir as emissões de dióxido de carbono. “Por isso, o etanol deve ser utilizado cada vez mais. E vemos com bons olhos esse crescimento”, afirma Henry Joseph.

Evolução tecnológica

O diretor técnico afirma que antigas preocupações que se tinha com etanol, como a corrosividade, hoje estão dominadas pelos fabricantes, que desenvolvem motores com materiais resistentes. Conforme ele diz, questões que eram peculiares ao etanol, como a dificuldade de partida a frio, não são mais problema, até o antigo tanquinho a gasolina, que era usado para auxiliar a dar a partida no motor, foi eliminado. “Há motores, principalmente os turbos, que conseguem partir a temperaturas baixíssimas simplesmente injetando etanol no motor em altíssima pressão”, explica o especialista.

Henry explica que o computador controla grande parte do motor, o que melhorou muito o rendimento e a performance. “O que temos de tecnologia a bordo dos veículos, os sensores, é infinitamente maior do que há décadas atrás”, afirma.

Últimas notícias

15/10/2020
Evitar focos de incêndio é responsabilidade de todos
Os incêndios podem ocorrer durante todo o ano, principalmente em períodos caracterizados pelo clima seco, pouca chuva, ventos fortes e altas temperaturas. Sua proliferação traz... ver mais
15/10/2020
Grupo Pedra já recuperou 95% de suas APP no interior paulista
“Pode parecer comum para nós, mas o pessoal de fora do interior que vem para cá fica maravilhado, tirando fotos como loucos. Gente que nunca... ver mais
29/09/2020
Projeto ambiental recupera áreas nativas e reabilita fauna silvestre
A conservação ambiental é tema primordial na política de sustentabilidade da Copersucar. Um dos exemplos da eficácia de ações com foco na preservação e recuperação... ver mais
17/09/2020
Logística ferroviária e dutoviária reduz emissões de carbono
Abastecer os mercados interno e externo com açúcar e etanol exige uma complexa infraestrutura logística da Copersucar, que envolve terminais multimodais integrados por caminhões, trens... ver mais
14/09/2020
Zilor doa ventilador pulmonar de transporte para Quatá
A Zilor Energia e Alimento, um dos grupos econômicos sócios da Copersucar,  doou à Secretaria de Saúde do município de Quatá – SP, um aparelho ventilador... ver mais
04/09/2020
RenovaBio impacta positivamente a economia e os negócios da Copersucar
Um dos objetivos da Política Nacional de Biocombustíveis (RenovaBio), instituída em 2017, é assegurar a previsibilidade ao mercado de combustíveis, induzindo ganhos de eficiência energética... ver mais
28/08/2020
Colaboradores da usina São José da Estiva recebem kit #NósCuidamos
A Usina São José da Estiva distribuiu aos colaboradores kits de proteção contra à Covid-19. Cada funcionário recebeu um frasco com álcool em gel; duas máscaras... ver mais
17/08/2020
Confiabilidade dos créditos de descarbonização é tema do segundo episódio do CoperCast
No segundo episódio do CoperCast,  João Roberto Teixeira, presidente da Copersucar, e Bruno Alves Pereira, gerente de Comunicação Corporativa e Relações Institucionais da companhia contam... ver mais